Identificação de suspeitos passa a ser feita em segundos na Central de Flagrantes de Curitiba

Um sistema informatizado de Identificação Criminal foi implantado pela Polícia Civil do Paraná (PCPR) na Central de Flagrantes, em Curitiba, nesta segunda-feira (16). [...]

Por Gileno Miranda/Águia News em 16/11/2020 às 12:11:44

Um sistema informatizado de Identifica√ß√£o Criminal foi implantado pela Polícia Civil do Paran√° (PCPR) na Central de Flagrantes, em Curitiba, nesta segunda-feira (16). A unidade é a primeira a operar a ferramenta, que permite confirmar em segundos a identidade de cerca de 90% dos suspeitos conduzidos à delegacia, sem precisar que uma perícia seja realizada.

Com o nome e o registro geral informado pelo suspeito assim que ele chega na delegacia, o policial civil ter√° condi√ß√£o de confirmar rapidamente a identidade civil do cidad√£o. O servidor ir√° coletar a digital do dedo polegar no leitor biométrico, tirar uma foto com a webcam e fazer a busca no sistema com essas informa√ß√Ķes.

Sistema de identificação digital funciona agora na Central de Flagrantes de Curitiba РFoto PCPR

O delegado Marcus Michelotto afirma que 100% dos presos no Paran√° s√£o identificados, mas o sistema ir√° dar celeridade ao processo. “O Instituto de Identifica√ß√£o j√° faz essa coleta de identifica√ß√£o dos presos manualmente, demandando uma pesquisa. Agora com o sistema que chamamos de um para um, que é a identifica√ß√£o autom√°tica, nós conseguimos fazer a identifica√ß√£o imediatamente”, diz.

A r√°pida identifica√ß√£o permitir√° ao delegado ingressar com autua√ß√Ķes em flagrante, indiciamentos e termos circunstanciados de forma mais √°gil. Michelotto destaca a seguran√ßa e apura√ß√£o do sistema nesse trabalho. “Os procedimentos s√£o feitos contra a pessoa que realmente deve ser feita, inibindo a falsidade ideológica e o uso de documentos falsos, porque o tempo que levava antes para fazer a identifica√ß√£o poderia possibilitar que isso acontecesse”, complementa.

Em segundos a ferramenta ir√° fazer a confirma√ß√£o ou n√£o da identidade do suspeito. Caso o registro n√£o seja confirmado, um papiloscopista ser√° chamado até à unidade para que fa√ßa a coleta manual das impress√Ķes digitais e inicie a perícia nas bases digital e física do Instituto de Identifica√ß√£o do Paran√° (IIPR).

Rapidez

Cerca de 70 atendimentos costumam ser feitos por papiloscopistas na Central de Flagrantes da Capital por semana. Com a implementação do sistema na delegacia, entre 85% a 90% dos suspeitos terão a identidade confirmada por escrivães e investigadores.

A ferramenta otimizar√° o trabalho de perícia, agilizar√° a instaura√ß√£o de inquéritos policiais e reduzir√° custos.

A identifica√ß√£o do suspeito é fundamental para a condu√ß√£o do inquérito. Quando n√£o h√° o registro geral confirmado do criminoso, o IIPR precisa emitir um número criminal de identifica√ß√£o até que a identidade dele seja localizada.

Outras delegacias

O sistema foi utilizado de forma pioneira na operação Verão Maior 2019/2020. Agora com a implantação em Curitiba, a PCPR estuda a expansão do Uso do Sistema Informatizado de Identificação Criminal para todas as unidades do Estado.

Fonte: Banda B

Comunicar erro