Desrespeitando decisão do STF, fiscais da prefeitura de Duartina proíbem live e encerram missa da Vigília Pascal

Mesmo sem fiéis na missa, o padre foi obrigado a encerrar a transmissão. "Queríamos levar este cristo para as pessoas" lamentou o padre.

Por Gileno Miranda/Águia News em 05/04/2021 às 20:19:53

A equipe de fiscalização da ditadura sanitária na cidade de Duartina (SP) encerrou no último sábado (03) a live da Paróquia Santa Luzia, onde era transmitida a celebração da Vigília Pascal aos fiéis da comunidade.

No vídeo que ainda está disponível na página do Facebook da igreja, é possível verificar que no momento da leitura do Evangelho, fiscais da prefeitura entram na igreja e pedem para que o padre encerre a transmissão, pois esta não seria permitida.

De acordo com o DECRETO Nº 2381 , somente as atividades religiosas coletivas estariam vedadas, sem qualquer menção às transmissões online dos cultos.

"Aqui em Duartina a situação é (…) que não se pode ter nem live. Então estamos terminando – a santa missa – para evitar maiores complicações", disse o padre ao receber a ordem dos ficais.

Emocionado, ele continuou: "Desculpa, com todo amor (…) queríamos levar este cristo para as pessoas", mas "não vai ter mais live."

De acordo com informações divulgadas pela grande mídia, a prefeitura teria encerrado a live motivada pela presença de fiéis na igreja. Na live, no entanto, é possível ver que somente auxiliares do padre estavam presentes.

Para proibir as atividades religiosas e comerciais na cidade com seus decretos autoritários, o Prefeito Aderaldo Pereira de Souza Júnior – Juninho Aderaldo – (PP) usa como um dos argumentos a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2020, que deu autonomia a estados e municípios para implantar medidas de restrições.

Aderaldo assumiu este ano seu 3º mandato como prefeito da cidade, mesmo tendo seu registro cassado no ano passado, após denúncias de abuso de poder político em sua campanha eleitoral, de acordo com o site JC Net.

Também no último sábado o ministro do STF, Kassio Nunes, estendeu para todo o território nacional a suspensão dos decretos que proibiram as celebrações religiosas.

A medida, porém, foi desrespeitada em diversas cidades do país.

Fonte: TL

Comunicar erro