Paulo Guedes pede demissão e governo procura por nome de peso, diz jornalista

Por Gileno Miranda/Águia News em 22/10/2021 às 15:06:22

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil)

Ministro falou que não aceitaria as manobras feitas pelo governo, à sua revelia, para furar teto de gastos a fim de bancar o Auxílio Brasil de R$ 400

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu demissão do cargo ao presidente Jair Bolsonaro. O pedido foi confirmado por quatro interlocutores ouvidos pelo Blog do Vicente, do Correio Braziliense.

Guedes falou muitos tons acima do normal e disse que não aceitaria as manobras feitas pelo governo, à sua revelia, para furar o teto de gastos a fim de bancar o Auxílio Brasil de R$ 400.

Segundo o blog, o pedido foi feito logo depois do ministro ser comunicado por quatro auxiliares de que não ficariam no governo diante da farra fiscal para tentar reeleger Bolsonaro.

Deixaram o Ministério o secretário especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal, o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittencourt, a secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo.

Durante entrevista ao programa Cidinha Livre, da Super Rádio Tupi, o editor-executivo de política do jornal Correio Braziliense, Vicente Nunes, afirmou que Guedes já teria pedido demissão e que o governo já está em busca de outro nome para ocupar o cargo. Segundo ele, quatro fontes do Palácio do Planalto teriam confirmado a informação.

"Ontem o Guedes ficou muto contrariado com o que foi feito pela ala política do governo, de mudar as regras do teto de gasto, que resultou na demissão de 4 secretários do Ministério da Economia. Ele teve uma conversa dura com Bolsonaro e pediu demissão", iniciou o jornalista.

"Guedes disse para Bolsonaro que estava desmoralizado e que não tinha condições de continuar no cargo. Foi uma conversa muito dura. Especula-se que interlocutores de Bolsonaro já estariam conversando com economistas de São Paulo. Falou-se do nome de Mansueto Almeida. Ele já disse que não quer se meter nessa enrascada", afirmou Vicente que disse ainda que nenhum nome de peso quer associar o seu nome com o governo Bolsonaro.

Guedes, inclusive, está se sentido desmoralizado, segundo amigos próximos. Não está descartada que a sua demissão seja formalizada nesta sexta-feira (22) ou ao longo da próxima semana. O ministro diz que chegou ao limite, pois as mudanças propostas pelo governo para o teto de gastos são inaceitáveis.

A situação está tão tensa no Ministério da Economia, que nem a agenda de Guedes foi divulgada. A única informação é de que ele está em compromissos internos. Interlocutores de Bolsonaro estão sondando nomes para o lugar de Guedes.

No Ministério da Economia, pouca gente acredita que um nome de peso aceite assumir o comando da política econômica com Bolsonaro enlouquecido com a reeleição. Para se ter um ideia da desconfiança em relação ao governo, Guedes, inclusive, está com dificuldades para preencher os quatro postos abertos em sua equipe.

Por correiobrasiliense/Fonte: tupi

Comunicar erro